Design de interface: confira o checklist dos 7 grandes pilares!
resistência à mudança organizacional
Resistência à mudança organizacional: quais os principais desafios?
fevereiro 7, 2019
desenvolvimento ágil de software
Enfrentando e superando os desafios do desenvolvimento ágil de softwares
fevereiro 11, 2019

Checklist: os 7 grandes pilares de um bom design de interface

Checklist: os 7 grandes pilares de um bom design de interface

design de interface

O design de interface e de experiência são áreas que têm ganhado força nos últimos anos. Segundo a revista Forbes, essa profissão foi a sexta mais bem paga no mundo em 2017, devido ao notório crescimento do mercado de aplicativos.
Da mesma forma, segundo pesquisa da Forrester, sites que investem em boa experiência de uso realizam até 400% mais conversões. Por isso, essa é uma prática importante quando falamos em desenvolvimento de sites e apps.
Para que os usuários encontrem o que procuram com facilidade e não se sintam perdidos ou incomodados ao visitar uma página, o design de interface é imprescindível.
Assim, neste artigo, vamos entender os 7 pilares de uma boa interface. Vamos lá?

Os pilares do design de interface

Em 1986, o cientista da computação da Universidade de Marylan, Ben Shneiderman, desenvolveu, com base em seus estudos, os passos fundamentais do desenvolvimento de interfaces para a interação humano-máquina.
Aprimorando esses conceitos, em 1990, Jakob Nielsen desenvolveu, então, as chamadas heurísticas de Nielsen, que balizam ainda hoje o trabalho do designer na criação de interfaces bem estruturadas.
Entre os pilares desenvolvidos por esses dois estudiosos, estão:

1. Visibilidade do status do sistema

Primeiramente, a interface de uma página ou aplicação deve sempre manter o usuário informado dos processos que estão acontecendo. Ou seja, é preciso que ele sempre tenha visibilidade do que está sendo carregado, em qual seção ele se encontra etc.
Esse pilar é definitivo em uma boa navegação, uma vez que, o usuário perde facilmente o interesse quando se sente confuso ou desinformado. Na verdade, pesquisas apontam que todo esse processo leva somente de 10 a 20 segundos.

2. Integração entre o sistema e o mundo real

Outro ponto fundamental, que deve ser levado em conta na construção de uma interface, é a sua correspondência com o mundo real. Mas o que isso significa?
Quer dizer que as formas de comunicação implementadas sejam identificadas de acordo com aquilo que existe no dia a dia do usuário. Ou seja, os símbolos utilizados devem representar na página o mesmo que significam no mundo real.
Uma seta para baixo, por exemplo, deve sempre levar a navegação para um elemento nessa direção e nunca o contrário.

3. Consistência e padronização

Da mesma forma, o design de interface deve primar pela consistência e pela padronização dos seus elementos. Ou seja, é preciso utilizar recursos visuais que facilitem a identificação de cada objeto da página com facilidade, seja em qual parte da navegação o usuário estiver.
Se o botão de enviar tiver 50 pixels de altura e cor verde em um formulário, todos os outros devem seguir essa mesma estrutura.
Esse fator é, também, importante para definir a identidade de marca e facilitar o seu reconhecimento. Assim, o usuário terá certeza de que está no site desejado com maior facilidade.

4. Liberdade e controle para o usuário

No design de interface, sabemos que a liberdade é ilusória, mas a sua sensação é imprescindível. Todos os passos que o usuário pode tomar dentro de uma página devem ser cuidadosamente previstos e planejados, para tornar a navegação tão fluida quanto possível.
Mesmo assim, o usuário deve ter a sensação de que ele está no comando, com liberdade para mover de uma tarefa a outra e voltar para uma etapa anterior, sem ser interrompido por erros não previstos pelo desenvolvedor.

5. Legibilidade e navegação

Para que todas as informações sejam apresentadas de forma clara, é preciso escolher a tipografia e as cores corretas para apresentar boa legibilidade. Além disso, o conteúdo deve ser bem espaçado e apresentar as informações de forma clara. Nada de textos longos e truncados em seu projeto de interface.
Da mesma forma, a navegação deve ser clara e mostrar a posição na qual o usuário se encontra. O uso de breadcrumbs, por exemplo, é uma forma de melhorar a fluidez da navegação — afinal, o usuário deve estar sempre bem informado.

6. Design minimalista

Como o próprio nome já diz, o design é ponto-chave na criação de interfaces. É importante evitar o excesso de elementos que possam confundir ou tirar a atenção do usuário. Ser minimalista em suas escolhas, é uma forma de melhorar toda a experiência de uso.
Por exemplo, uma página repleta de elementos e títulos pode esconder a informação que realmente queremos destacar. Em uma landing page, um menu de navegação cheio de escolhas pode tirar a atenção daquilo que realmente queremos mostrar, o formulário de conversão.

7. Prevenção de erros

Saber lidar com erros pode ser a solução de grandes problemas. Sempre que usuários enfrentam travamentos inesperados ou tenham preenchido algum campo de texto de forma equivocada, é importante que ele saiba o que está acontecendo.
Para que isso seja possível, durante o planejamento, é necessário estudar todas as etapas envolvidas em determinada ação e, assim, prever o que pode dar errado. Sempre que um erro em potencial for identificado, é preciso criar um mecanismo de retorno ou uma mensagem clara de erro.
Dessa forma, o usuário terá facilidade em retomar a navegação com facilidade.

Design de interface ou experiência do usuário

É claro, vale lembrar que o design de interface e de experiência do usuário (UX) não são exatamente a mesma coisa. O conceito de UX compreende todos os elementos que interferem na usabilidade da página, da jornada do usuário ao roteiro de chatbots, enquanto a interface é tudo aquilo que a compõe.
Por isso, podemos falar que o design de interface é uma parte do trabalho de UX — e bastante importante — mas ainda assim, não é o processo completo.

Conclusões importantes

Neste artigo, passamos por alguns dos pilares da construção de interfaces. Manter um visual consistente e claro para o usuário é uma forma de garantir a sua boa experiência, o que pode retornar em conversões e novas visitas. D
a mesma forma, é preciso oferecer boa legibilidade e manter o usuário informado do que acontece em uma página ou aplicativo.
Sabemos, contudo, que esse processo nem sempre é algo fácil ou trivial. Na verdade, muitos profissionais acabam por estudar pouco esse conceito e deixam passar problemas que poderiam ser facilmente evitados.
Assim, para garantir que a sua página tenha um bom design de interface, entre em contato com a Mooven!